Impressões da BH em Ciclo acerca da integração do BRT (MOVE) com a bicicleta

Para compreender como a BH em Ciclo concluiu cada um dos pontos abaixo elencados (resumidamente), leia o documento completo: Impressões da BH em Ciclo acerca da integração do BRT (MOVE) com a bicicleta.

Veja todas as fotos clicando aqui.

Em resumo, alguns fatos e as impressões da BH em Ciclo sobre o BRT e a integração com as bicicletas:

1) O sistema teve sua data de início de funcionamento estabelecida para 8 de março;
2) Testar o sistema de BRT no que tange à integração da bicicleta dentro do sistema;
3) Os ciclistas não foram ouvidos para a implantação do sistema;
4) Os horários determinados para a utilização da estrutura não consideram a bicicleta como meio de transporte;
5) Até o momento, não existem informações sobre a implantação de paraciclos nas Estações de Transferência do MOVE;
6) Não há instruções sobre como utilizar o espaço destinado à bicicletas;
7) A estrutura que receberá as bicicletas é, em si, pouco prática e acessível;
8) Duas bicicletas por viagem;
9) A estrutura para duas bicicletas ocupa o espaço de quatro bancos;
10) O espaço que foi destinado a estrutura é no corredor do ônibus;
11) A estrutura é fixa, exige encaixe preciso e está em posição desfavorável ao ciclista;
12) Falta de dependência entre os encaixes para colocação e retirada das bicicletas;
13) Pneus mais grossos poderão não caber no encaixe;
14) A estrutura foi criada de forma que bicicletas maiores ou com bagageiros, cestas e alforjes terão muita dificuldade para serem colocadas no encaixe;
15) A roda da frente tem que ficar para baixo. Se a bicicleta tiver cesta ou for grande, isso será impossível;16) o guidão da bicicleta que ficará ‘na beirada’, se tiver mais de 40cm, atrapalhará a passagem dos usuários pelo corredor.

Jpeg

 

Leia o ofício que enviamos ao presidente da BHTrans.